ATUAÇÃO EM TODAS AS AREAS DO DIREITO

Assessoria, Consultoria e Atuação Jurídica e Administrativa completa.
Direito do Consumidor; Direito Bancário; Direito Civil; Direito Tributário; Direito de Família; Direito Criminal; Direito Internacional; Direito Civil e Contratos; Direito Trabalhistas; Direito Empresarial; Direito Previdenciário; Direito das Sucessões e Inventários; Direto Eleitoral; Direito Publico e Administrativo.

Prestamos atendimento e Assessoria Jurídica nas cidades de Chui, Santa Vitoria do Palmar, Rio grande, Pelotas e Pedro Osório-Cerrito, com possibilidade de atuação em outras comarcas. Apresentamos recursos em todas as instancias judiciais.

E-mail: drhugojuridicozs@hotmail.com
Telefone Celular: 91188208- Telefone fixo: 53-32652072
( Horário Comercial- vinculado a Matriz no Município de Chui/RS)- 53-30251803 (H. Comercial- Pelotas/RS)
Celular Uruguaio: 092.484.153.
Horarios de Atendimento:
Segunda a Sexta das 9h as 12 h e das 14h as 19h
Sábados: das 9h as 12h
ESCRITÓRIO 01: Matriz HD Jurídico Chui /RS: Rua Peru 1.015 Chui/RS CEP 96255-000. Telefone (53)32652072
ESCRITÓRIO 02: HD Jurídico Santa Vitoria do Palmar/RS: Rua Barão do Rio Branco 549 CEP 96230-000
ESCRITÓRIO 03: HD Jurídico Pelotas: Rua Andrades Neves 2.565 CEP 96020-080. Telefone: (53)3025-1803
ESCRITÓRIO 04: HD Jurídico Pedro Osório- Avenida Alberto Pasqualini 55 Sala B-
ESCRITÓRIO 05: HD Juridico Rio Grande: Barão de Cotegipe 433- Centro- Sala 912- Edificio Porto de Gales





sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A VOLTA DE RONALDINHO GAUCHO



29/10/2010 20h15 - Atualizado em 29/10/2010 20h15
Ronaldinho volta com status de titular e vai ter liberdade na Seleção
Jogador retorna à equipe com pompa de estrela consagrada e vai ser avaliado por Mano Menezes no confronto diante da Argentina, em novembro.
Ronaldinho Gaúcho está de volta à Seleção Brasileira e com status de titular. O próprio técnico Mano Menezes confirmou que pretende escalar o jogador com a camisa 10 no dia 17 de novembro, contra a Argentina, em Doha, no Qatar, para tentar surprir a carência de um homem criativo no meio-campo canarinho. Até o momento, nos três jogos disputados pela equipe apenas dois atletas foram escalados na posição: Paulo Henrique Ganso e Carlos Eduardo.
Agora chegou a vez de Ronaldinho Gaúcho. E Mano Menezes sabe muito bem onde vai escalar o craque do Milan no confronto diante dos hermanos.
- O Ronaldinho está jogando diferente no Milan do que jogava no Barcelona, por exemplo. Mesmo que coloque ele na beirada do campo, vamos ter jogadores por trás para que ele possa ter liberdade para render dentro de sua caracaterística - afirmou o comandante.
Mano Menezes afirmou que não vai julgar Ronaldinho Gaúcho ou nenhum outro jogador por apenas uma partida. A ideia é ver o desempenho dos atletas ao longo de outros compromissos da Seleção Brasileira.
- Não acho justo analisar um jogador por uma partida, mesmo sendo um atleta consagrado como o Ronaldinho. Não posso chamar um jogador e colocá-lo em um jogo importante, difícil, e querer que ele resolva todos os problemas que por ventura nós possamos ter - disse.
Ao ser questionado sobre o assédio maior que a Seleção passará a ter por conta da presença de Ronaldinho Gaúcho, Mano afirmou estar calejado. Segundo o treinador, a presença de Ronaldo Fenômeno no Corinthians já o credenciou para enfrentar a correria do público e da imprensa por informações sobre o ídolo.
- Convivo com isso há um tempo. Recentemente chegou ao Corinthians uma das maiores figuras do futebol mundial e foi uma alteração na nossa vida. Não creio que seja diferente com o Ronaldinho. Se ele tem essa condição é porque conquistou. Respeito essa posição e não concorro com isso. Deixo bem claro que quem quiser esse espaço (de atleta consagrado) que lute e conquiste. Ninguém dá nada de graça e ninguém tira isso dele - analisou Mano.
O treinador aproveitou ainda para revelar o tom de sua conversa com Ronaldinho quando esteve na Europa no início do mês.
- Disse a ele que dificilmente vai voltar a ser comparado com outros jogadores, mas que vai ser comparado com ele mesmo. O Ronaldinho que queremos é o que ele nos ensinou a gostar e a avaliar com o melhor jogador do mundo - disse o treinador, afirmando nunca ter visto o Gaúcho se envolvendo com problemas extracampo.

JOSE ALENCAR NOVAMENTE QUIMIO



29/10/2010 17h54 - Atualizado em 29/10/2010 17h56
Alencar permanece internado e retoma quimioterapia
Vice-presidente trata uma obstrução intestinal no hospital Sírio-Libanês.Ele foi internado no último dia 25; Lula fez visita a ele nesta sexta-feira.
O vice-presidente José Alencar voltou a se submeter a tratamento de quimioterapia contra o câncer, informa boletim médico divulgado nesta sexta-feira (29) pelo Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.De acordo com a nota, Alencar permanece internado para tratamento de suboclusão (obstrução) intestinal.Alencar está internado desde o dia o último dia 25. Nesta sexta, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez uma visita ao vice-presidente, antes de embarcar para Recife.Em julho de 2009, Alencar foi submetido a uma cirurgia motivada por problema semelhante: uma obstrução intestinal causada por tumores abdominais. Alencar tem câncer na região do abdome e já passou por mais de 15 cirurgias.No mês passado, o vice-presidente foi internado no mesmo hospital em razão de um edema agudo de pulmão. De acordo com a assessoria, o problema pode ter sido uma reação à quimioterapia.Em julho, por causa de uma crise de hipertensão, ele ficou hospitalizado e passou por um cateterismo.Veja o boletim médico divulgado nesta sexta-feira
"Boletim médicoO vice-presidente da República, José Alencar, permanece internado no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para tratamento de suboclusão intestinal.
O paciente segue estável e reiniciou tratamento com quimioterapia.
As equipes médicas que o acompanha são coordenadas pelos Profs. Drs. Raul Cutait, Paulo Hoff, Roberto Kalil e Paulo Ayroza Galvão.Dr. Antonio Carlos Onofre de Lira Dr. Riad YounesDiretor Técnico Hospitalar Diretor Clínico"

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

MORRE ROMEU TUMA

Romeu Tuma
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para:
navegação, pesquisa
Senador de São Paulo
Mandato:
1 de fevereiro de 1995até 26 de outubro de 2010(2 mandatos consecutivos)
Nascimento:
4 de outubro de 1931São Paulo, SP
Falecimento:
26 de outubro de 2010 (79 anos)São Paulo, SP
Nacionalidade:
brasileiro
Progenitores:
Mãe: América TumaPai: Zike Tuma
Viúva:
Zilda Dirane Tuma
Partido:
Partido Liberal (PL) (1994–?)Partido da Frente Liberal (PFL) (?–2007)Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) (2007–2010)
Profissão:
Delegado de polícia

Romeu Tuma (São Paulo, 4 de outubro de 1931 — São Paulo, 26 de outubro de 2010) foi um político brasileiro.
Biografia
Carreira policial
Descendente de sírios,
[1] Romeu Tuma foi investigador e depois, delegado de polícia concursado da Polícia Civil do Estado de São Paulo. Bacharel em Direito pela PUC-SP, dois de seus quatro filhos seguiram a carreira política: Romeu Tuma Júnior foi deputado estadual paulista, e Robson Tuma, deputado federal; ambos também delegados de polícia.
Foi diretor geral do
Departamento de Ordem Política e Social (DOPS) paulista de 1977 a 1982, quando tornou-se superintendente da Polícia Federal no Estado, e em 1985, torna-se diretor geral do órgão.
Durante sua gestão, o chamado "boi gordo" foi confiscado no âmbito do
Plano Cruzado, foi descoberta a ossada do médico alemão Joseph Mengele, e houve a captura de Tommaso Buscetta, o mafioso cujas confissões ajudaram a desmantelar parte das máfias italiana e americana presentes no Brasil. Permaneceu dirigindo a Polícia Federal até 1992, já no governo Fernando Collor de Mello quando também acumulou o cargo de Secretário da Receita Federal do Brasil.
Político
Em
1994, disputou sua primeira eleição e foi eleito senador de São Paulo pelo Partido Liberal (PL, atual PR)[2], filiando-se posteriormente ao Partido da Frente Liberal (PFL, atual DEM). Concorreu à prefeitura de São Paulo em 2000, obtendo o 4º.lugar. Reelege-se senador em 2002, onde manteve o cargo de corregedor até 2010. Em 2007, filia-se ao Partido Trabalhista Brasileiro (PTB).[3] Candidatou-se à reeleição em 2010, mas teve problemas de saúde no inicio de setembro, inicialmente divulgado como problema de afonia, e ficou internado até o fim das eleições.[4] Assim, não pôde fazer campanha corpo-a-corpo e tampouco gravar programas eleitorais, o que refletiu na sua inexpressiva votação (se comparada com outras eleições). Tuma obteve apenas 3,8 milhões de votos, ficando assim em 5º lugar, atrás de Aloysio Nunes Ferreira Filho e Marta Suplicy, eleitos senadores, e Netinho de Paula e Ricardo Young.[5] O jornal Folha de S. Paulo divulgou erroneamente a morte do senador no dia 24 de setembro de 2010. O diário assumiu o erro e lançou uma errata minutos mais tarde.[6]
Morte
Faleceu em 26 de outubro de 2010, aos 79 anos de idade, no
Hospital Sírio-Libanês na região Central de São Paulo, em decorrência de uma falência múltipla dos órgãos. Em sua vaga, assumirá o suplente Alfredo Cotait Neto, o qual cumprirá o restante do mandato, que termina em 31 de janeiro de 2011.[7][8][9]

MORRE EX-PRESIDENTE DA ARGENTINA Néstor Kirchner



27/10/2010 16h19 - Atualizado em 27/10/2010 22h38
Corpo de Néstor Kirchner vai ser velado na Casa Rosada, diz governo
Velório na sede do governo deve começar às 12h locais desta quinta (28).Ex-presidente morreu repentinamente na província de Santa Cruz.


O corpo do ex-presidente argentino Néstor Kirchner, morto nesta quarta-feira (27), deve ser levado a Buenos Aires para ser velado na Casa Rosada, a partir das 12h locais (13h do horário brasileiro de verão) da quinta-feira, segundo o ministro do Trabalho, Carlos Tomada, que falou em nome do ministério.
Antes, Kirchner será homenageado em uma cerimônia íntima em El Calafate, na província sulista de Santa Cruz, onde ocorreu a morte.
O ex-presidente morreu por volta das 10h locais (11h no horário brasileiro de verão), vítima de um ataque cardíaco. "Foi uma morte súbita", disse Luis Buonomo, médico de Kirchner, em entrevista. Mais tarde, ele esclareceu em comunicado que o motivo da morte foi uma parada cardiorrespiratória não traumática e que o paciente não respondeu às tentativas de reanimação básicas e avançadas.
Kirchner morreu depois de ter sido internado emergencialmente por problemas cardíacos no hospital José Formenti, em El Calafate, na província de Santa Cruz, berço político do casal Kirchner.
saiba mais
Veja fotos da trajetória de Kirchner
Saiba mais sobre a carreira do ex-presidente
Veja vídeos da trajetória de Kirchner
Lula deve ir ao velório na sexta
No Twitter, Hugo Chávez lamenta a morte
Ele e a esposa, sua sucessora e atual presidente Cristina Fernández de Kirchner, descansavam na residência da família na cidade. Ela -que se recuperava de uma gripe- estava ao lado dele quando ele passou mal.
Cristina estava "forte" e prometeu seguir lutando pelo povo argentino, disse um padre que a visitou após a morte do ex-presidente.
O casal estava na cidade desde o final de semana passado, segundo o "La Nación".
Argentinos começam vigília em homenagem a Néstor Kirchner, na noite desta quarta-feira (7), em frente à Casa Rosada. (Foto: AFP)

Esta quarta-feira é feriado nacional na Argentina, por conta da realização do censo, e Cristina esperava ser pesquisada nesta quarta, conforme relatou em seu Twitter oficial.
Argentinos convocaram pelas redes sociais um ato em homenagem a Kirchner que deve acontecer na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, às 20h (21h de Brasília).
Várias pessoas estavam reunidas no local para ter mais notícias sobre a morte do ex-presidente. Sindicalistas começaram uma vigília pelo ex-presidente.
A agência Télam afirmou que pelo menos seis presidentes confirmaram que vão a Buenos Aires velar o corpo: Luiz Inácio Lula da Silva (Brasil), Hugo Chávez (Venezuela), Rafael Correa (Equador), Fernando Lugo (Paraguai), José Mujica (Uruguai) e Sebastián Piñera (Chile).
A previsão é que o enterro ocorra na sexta ou no sábado no cemitério municipal de Río Gallegos, capital de Santa Cruz, onde Kirchner nasceu.
A federação argentina de futebol anunciou no começo da noite que a rodada do final de semana foi suspensa por conta da morte.
Saúde problemáticaOs problemas de saúde do ex-presidente e deputado não eram novos.
Em 2004, ele teve um crise gástrica derivada de uma síndrome do cólon irritável.
Mapa localiza El Calafate, onde Néstor Kirchner morreu,e Río Gallegos, onde ele deve ser enterrado. (Foto: Arte G1)
Em fevereiro, foi submetido a uma cirurgia emergencial de alta complexidade para desobstruir a artéria carótida direita.
Em meados de setembro, Kirchner havia sido submetido a uma angioplastia coronária, um procedimento para a dilatação de uma obstrução ou estreitamento das artérias do coração, depois de ter sido internado com dores no peito.
De acordo com nota divulgada pelo governo à época, o procedimento foi um “sucesso” e também incluiu a colocação de um “stent”, uma prótese metálica que, posicionada no interior de artérias coronarianas obstruídas, normaliza o fluxo sanguíneo local.
O chefe de gabinete do governo da Argentina, Aníbal Fernández, e outros funcionários foram para El Calafate e estiveram entre os primeiros a visitar Cristina.
O ex-presidente argentino Néstor Kirchner brinca ao tomar posse de seu primeiro mandato, em 25 de maio de 2003. (Foto: AFP)
Possível candidatoDeputado, líder do governante Partido Justicialista e secretário-geral da Unasul (União das Nações Sul-Americanas) , Kirchner tinha 60 anos e governou a Argentina entre 2003 e 2007.
saiba mais
Morte deve mudar quadro político no país, dizem analistas
Ações de empresas argentinas sobem
Líderes mundiais lamentam a morte de Kirchner
Para diplomatas brasileiros, Unasul terá de reavaliar lideranças
Sua presidência foi marcada pela consolidação da recuperação econômica do país, depois de uma forte crise econômica e política nos anos anteriores. Ele também ajudou a reunificar o Partido Justicialista (peronista), que enfrentava uma crise interna.
Seus adversários o acusavam de autoritarismo, e o mercado financeiro via com desconfiança as políticas econômicas de Kirchner, que também eram seguidas pela administração de sua mulher.
"El Pinguino" (pinguim), como era chamado por conta de sua aparência, conseguiu eleger Cristina como sua sucessora, para um mandato que se encerra em 2011.
new GMCEmbed( { midiaId: 1364058, sitePage: 'g1/mundo' } ).print();
O governo de Cristina enfrentou sua pior crise em 2008, quando o setor agrário fez seguidas greves por conta da taxação sobre a exportação de soja.
Na ocasião, Néstor Kirchner acusou os fazendeiros de complô e pediu que seus partidários boicotassem as companhias que participaram dos protestos. Ele também criticou a atuação da imprensa no episódio.
Néstor Kirchner era o principal aliado e conselheiro de Cristina, e, apesar do desgaste sofrido pelo governo dela nos últimos anos e de seus recentes problemas de saúde, esperava-se que ele fosse se candidatar novamente à presidência nas eleições do próximo ano. Agora, fala-se que Cristina poderia ficar encorajada a tentar a reeleição.
Kirchner costurou alianças para tentar voltar ao poder, mas também estreitou laços com líderes esquerdistas latino-americanos, como o presidente da Venezuela, Hugo Chávez.
A morte de Néstor Kirchner impulsionará os níveis de aprovação de Cristina e deve gerar possivelmente um rali de alta na Bolsa de Buenos Aires quando ela reabrir na quinta-feira, afirmou o banco de investimento Barclays Capital. Em comunicado, o analista Guillermo Mondino disse que a morte produzirá uma "onda de simpatia em direção à atual presidente". A governante já estava "obtendo melhores resultados nas pesquisas, e isto poderia de alguma maneira impulsionar seus níveis de aprovação", disse.

FICHA LIMPA: NOVO EMPATE E VALE DECISAO DO TSE

27/10/2010 21h07 - Atualizado em 27/10/2010 21h43
Apesar de empate, STF confirma validade da Lei da Ficha Limpa
Após placar de 5 a 5, ministros decidem que deve vigorar decisão do TSE.Com isso, deputado federal Jader Barbalho perde registro de candidatura.
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta quarta-feira (27) que a Lei da Ficha Limpa vale para as eleições deste ano e se aplica a casos de renúncia de políticos a mandato eletivo para escapar de processo de cassação, mesmo nas situações ocorridas antes da vigência da lei. Diante do impasse causado pelo empate em 5 a 5, os ministros optaram por manter a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre a norma.
“Quando um caso tem repercussão geral, a conduta da corte tem sido a de dar o mesmo destino para os casos semelhantes. Em tese, salvo alguma particularidade do caso concreto todos os demais casos assemelhados terão que ter o mesmo destino”, afirmou o presidente do TSE e ministro do STF, Ricardo Lewandowski.
Nas situações de candidatos com condenação por decisão colegiada de juízes ou entidade de classe, os recursos serão analisados caso a caso. “Há uma série de recursos, cerca de 12, que ainda serão julgados pelo Supremo e que dizem respeito a outras alíneas da lei. Cada caso é um caso e será examinado", disse Lewandowski.
O STF analisou nesta quarta o recurso do deputado federal Jader Barbalho (PMDB-PA), barrado na disputa a uma vaga de senador pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base na Lei da Ficha Limpa. Mesmo com registro indeferido, Jader Barbalho recebeu 1.799.762 de votos e, caso não tivesse sido barrado, seria eleito em segundo lugar para uma vaga no Senado.
O deputado teve a candidatura questionada porque renunciou ao mandato de senador, em 2001, para evitar um processo de cassação em meio às investigações do caso que apurava desvios no Banpará e também por denúncias de envolvimento no desvio de dinheiro da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).
A questão já foi amplamente debatida. Durante 11 horas no primeiro julgamento e, agora, mais cinco [horas] e a proposta é que adie mais uma vez? Nós estamos aqui a brincar"
Ministro Joaquim Barbosa, relator de recurso de Jader Barbalho (PMDB-PA) no STF, após empate no julgamento
O candidato sempre negou irregularidades. Sua defesa afirma que a renúncia não representou atentado à moralidade pública porque o então senador foi alvo apenas de denúncias publicadas na imprensa.
Com a decisão do Supremo, o Tribunal Regional Eleitoral do Pará pode convocar novas eleições para o Senado no estado. A soma dos votos obtidos pelo deputado Jader Barbalho e pelo terceiro colocado na disputa – o petista Paulo Rocha, também barrado pela ficha limpa – ultrapassam 50% dos votos válidos. Nesse caso, os votos são anulados, o que, pela legislação eleitoral, abre a possibilidade de realização de novas eleições.
“Primeiro temos que esperar decisão do TRE para depois nos pronunciar, nós TSE”, disse Lewandowski. "O que me preocupa agora é o processo do mesmo estado em relação à mesma vaga de senador", disse o presidente do STF, Cezar Peluso.
Regimento do SupremoA alternativa dos ministros do STF, de manter a decisão contrária ao recurso de Jader, está prevista no regimento interno do Supremo e já havia sido sugerida na primeira vez que o tribunal analisou a ficha limpa, em setembro.
De acordo com o artigo 205 do regimento interno do STF, “havendo votado todos os ministros, salvo os impedidos ou licenciados por período remanescente superior a três meses, prevalecerá o ato impugnado”.
saiba mais
Supremo tem novo empate em julgamento sobre ficha limpa
TSE mantém decisão que barrou candidatura de Jader Barbalho
TSE libera registro de candidatura de Valdemar Costa Neto
A possibilidade já havia sido aventada quando o STF analisou o recurso do ex-candidato do governo do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC). Ele também teve o registro negado pelo TSE por ter renunciado ao mandato de senador, em 2007, para escapar de cassação. Na apelação ao STF, o julgamento terminou empatado e Roriz desistiu da disputa eleitoral.
O STF está com um integrante a menos desde agosto, quando o ministro Eros Grau se aposentou. A indicação de um novo ministro é feita pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o que não tem data para ocorrer.
Solução para o impasseApós o empate no julgamento, o advogado de Jader, Eduardo Alckmin, propôs ao plenário a suspensão da análise do recurso para que ele fosse analisado na mesma sessão que vai decidir sobre recurso de Paulo Rocha.
Por 7 votos a 3, os ministros decidiram concluir o julgamento, mas a sugestão levou a uma discussão generalizada no plenário. "A questão já foi amplamente debatida. Durante 11 horas no primeiro julgamento e, agora, mais cinco [horas] e a proposta é que adie mais uma vez? Nós estamos aqui a brincar?", questionou o relator do recurso, Joaquim Barbosa.
Em meio ao debate, a ministra Ellen Gracie pediu que Marco Aurélio Mello concluísse o voto sobre a proposta da defesa. Ele respondeu em tom de ataque. “Vossa Excelência está presidindo este tribunal? Ministra, não me cobre definição. Se há alguém que se posiciona com coerência sou eu. Ou Vossa Excelência tem viagem marcada?”. A ministra rebateu o colega na mesma hora. "Ainda que tivesse, o respeito pelo tempo alheio é algo que se impõe."

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

OS 33 CHILENOS SOBREVIVENTES

Quem é
Como foi o resgate
1º resgatado:Florencio Ávalos Silva, 31 anos. Casado, pai de dois filhos, capataz da mina. É o segundo na hierarquia do grupo que ficou preso na mina. Irmão de Renán Avalos, que também ficou preso.
Chegou quieto, mas emocionado. Abraçou a mulher e o filho de 7 anos. Depois, cumprimentou o presidente chileno e a equipe de resgate. Brincou com o filho antes de ser levado ao hospital.
2º resgatado:Mario Sepúlveda, 40 anos. Eletricista, casado, tem dois filhos. Porta-voz do grupo, é ele quem aparece nos vídeos gravados no fundo da mina e mostra ao mundo como os mineradores viviam no refúgio.
Chegou muito feliz à superfície e brincou com a equipe de resgate. Deu três abraços no presidente e entoou o grito 'Chi chi chi, le le le' com os trabalhadores do resgate. Trouxe pedaços de rocha da mina como lembrança aos colegas.
3º resgatado:Juan Illanes, 52 anos. Casado, mecânico eletricista, ex-militar. Disse que já estava cansado de trabalhar na mina e queria comprar um táxi.
Chegou sorrindo e abraçou a esposa. Disse: 'É um cruzeiro', sobre a viagem com a cápsula que o levou à superfície.
4º resgatado:Carlos Mamani Soliz, 23 anos, operador de máquinas pesadas, casado. Boliviano e único estrangeiro do grupo. Trabalhava na mina há poucos dias quando ocorreu o acidente. O governo boliviano disse que dará casa e emprego a ele no país.
Ele chegou sorridente e se ajoelhou após sair da cápsula de resgate. Mamani agradeceu a Deus: "Quero dar Graças ao Senhor. Ele é muito grande". Abraçou e beijou a esposa.
5º resgatado:Jimmy Sánchez Lagues, 19 anos. O mais jovem do grupo, é pai de uma menina de três meses. Trabalhava medindo a temperatura e umidade na mina.
Assim que saiu da cápsula, o jovem levantou a bandeira do Universidad de Chile, time de futebol para o qual torce. Abraçou o pai e cumprimentou a equipe de resgate.
6º resgatado:Osmán Araya, 30 anos. Casado, pai de três filhos. Trabalhava há apenas quatro meses na mina e queria mudar de emprego.
Chegou quieto e abraçou a esposa muito emocionado. Cumprimentou autoridades e equipe de resgate, e agradeceu pelo trabalho de resgate: "Muitas felicidades para todos".
7º resgatado:José Ojeda Vidal, 46 anos. É viúvo e diabético. Foi ele quem redigiu a mensagem internacionalmente conhecida após o acidente: "Estamos bem no refúgio, os 33".
Ele chegou sorrindo e mostrou a bandeira do Chile. Viúvo, foi recebido pela enteada. Abraçou autoridades e equipe de resgate.
8º resgatado:Claudio Yañez Lagos, 34 anos. Solteiro, tem duas filhas. Estava havia oito meses na mina. Se sentava para falar com cada um de seus companheiros no refúgio.
Chegou com aparência cansada e fez o sinal de positivo. Abraçou e beijou a namorada e a filha. Trouxe um pedaço de pedra da mina. Falou rapidamente ao celular e fez o "V" da vitória.
9º resgatado:Mario Gómez Heredia, 63 anos. Motorista, casado. É o mais experiente do grupo, filho de mineiro e trabalha em mina desde os 12 anos. Escapou de vários acidentes, mas perdeu três dedos de uma mão.
Chegou aparentando boa saúde. Beijou a mulher e ajoelhou-se para agradecer a Deus por ter sido resgatado.
10º resgatado:Alex Vega Salazar, 31 anos. Mecânico de máquina. Casado, é pai de dois filhos. Queria economizar dinheiro para comprar uma casa em Copiapó, cidade próxima à mina.
Chegou sorrindo, com boa aparência e fez sinal positivo com os dedos. Fez sinal da cruz, abraçou e beijou a mulher e cumprimentou autoridades.
11º resgatado:Jorge Galleguillos Orellana, 56 anos. Trabalha desde os 16 anos na profissão e tem uma grande coleção de pedras e minerais. Sofre de hipertensão.
Chegou com aparência cansada, foi saudado pelos mineiros. Abraçou os presidentes chileno e boliviano. Recebeu os cumprimentos de autoridades e equipe de resgate.
12º resgatado:Edison Peña Villarroel, 34 anos. Solteiro e fanático por esporte. Pratica cooper diariamente no interior da mina.
Chegou aparentando boa saúde, beijou a mulher, que estava emocionada, e cumprimentou autoridades e equipe de resgate.
13º resgatado:Carlos Barrios Contreras, 27 anos. Tem um filho de cinco anos e sua mulher soube que estava grávida uma semana depois do desmoronamento da mina San José.
Chegou sorridente, com boa aparência de saúde e emocionado abraçou um parente. Cumprimentou autoridades e equipe de resgate.
14º resgatado:Víctor Zamora Bugueño, 33 anos. Apelidado de "O poeta", já que escreve poemas à esposa. Tem um filho e espera outro.
Quando chegou foi recebido com o grito 'Chi chi chi, le le le' dos trabalhadores de resgate e em seguida abraçou e beijou a mulher que chorava emocionada. Cumprimentou autoridades e equipe de resgate.
15º resgatado:Víctor Segovia Rojas, 48 anos. Perfurador, casado, tem cinco filhas. Escreve tudo o que ocorre no refúgio desde o dia do desmoronamento.
Chegou quieto, foi recebido com gritos dos trabalhadores de resgate e abraçou um parente. Abraçou e conversou com o presidente chileno. Cumprimentou autoridades e equipe de resgate.
16º resgatado:Daniel Herrera Campos, 37 anos. Motorista e casado. Torcedor do Audax Italiano, recebeu uma camisa do time assinada por todos os jogadores.
Saiu da cápsula sorridente e também foi recebido com gritos dos trabalhadores de resgate. Primeiro abraçou a mãe, que demonstrava ansiedade, e se emocionou no reencontro com o filho. Depois ele cumprimentou a primeira-dama, autoridades e equipes de resgate.
17º resgatado:Omar Reygadas Rojas, 56 anos. Eletricista. É pai de cinco filhos. Em seus 30 anos como minerador, já ficou soterrado em três ocasiões.
Foi recebido com aplausos e gritos, abraçou um parente e em seguida, ajoelhou-se emocionado em sinal de agradecimento. Cumprimentou a primeira-dama, autoridades e equipes de resgate. A caminho do atendimento médico ganhou uma bandeira do time de futebol Colo-Colo.
18º resgatado:Esteban Rojas Carrizosteban Rojas, 44 anos. Encarregado de manutenção, carregador de explosivos. É pai de três filhos. Em carta, prometeu à esposa casar na Igreja "de uma vez por todas".
Assim que saiu da cápsula Esteban ajoelhou-se, orou e fez o sinal da cruz em forma de agradecimento. Ainda ajoelhado, abraçou uma familiar, que estava emocionada. Levantou-se e cuprimentou autoridades e equipes de resgate.
19º resgatado:Pablo Rojas Villacorta, 45 anos. Carregador de explosivos. É casado, tem um filho de 21 anos. Estava há seis meses trabalhando na mina San José.
Com aparência cansada, Pablo deixou a cápsula e acenou para os presentes. Abraçou o filho dele, estudante de medicina de 21 anos, visivelmente emocionado. Também cumprimentou o ministro da Mineração e a primeira-dama do Chile,Cecilia Morel.
20º resgatado:Darío Segovia Rojo, 48 anos. Operador de broca. Tem 13 irmãos e seis filhos. Trabalhava há três meses na mina e queria abrir uma quitanda. Ele dizia que a mina "chorava" muito, porque as pedras se desprendiam.
Ao chegar na superfície, Darío Segovia foi fotografado dentro da cápsula. Após deixar otransporte, ajoelhou e abraçou a companheira. Cumprimentou o coordenador da operação São Lourenço e outras autoridades no local.
21º resgatado:Yonni Barrios Rojas, 50 anos. Enfermeiro. Foi encarregado de dar injeções e redigir relatórios sobre a situação dos companheiros no refúgio. É aguardado no exterior da mina por duas companheiras, que já brigaram.
Yonni Barrios deixou a cápsula Fênix às 16h32, sendo recebido com palmas. Claramente abatido,o mineiro abraçou demoradamente uma das companheiras que possui, Susana Valenzuela. Abraçou osdemais presentes.
22º resgatado:Samuel Ávalos Acuña, 43 anos. Tem três filhos. Conseguiu o trabalho na mina com a ajuda do cunhado, mas gosta mesmo é de comércio.
Samuel chegou à superfície às 17h04. Sorridente, beijou a companheira Ruth Guzmán apósdeixar a cápsula. Foi recebido pelo presidente Sebastián Piñera, a quem agradeceu. "Sejabem-vindo de volta à vida", foi o que escutou do chefe de governo.
23º resgatado:Carlos Bugueño Alfaro, 27 anos. Não tem filhos. Antes de trabalhar na mina San José, era vigilante de segurança. Queria comprar uma casa e um carro.
Carlos, um dos mais novos mineiros presos, respondeu ainda enquanto subia que estava bem. Ao sair da cápsula, abraçou a mãe, que estava muito emocionada, e o presidente Sebastián Piñera. Trocoupoucas palavras e seguiu para atendimento médico.
24º resgatado:José Henríquez González, 54 anos. Perfurador, casado e pai de duas filhas. É evangélico e guia espiritual do grupo.
José Henríquez González chegou à superfície às 18 horas e cumprimentou a equipe de resgate. Casado há33 anos, o mineiro abraçou emocionado a mulher, erguendo os braços, celebrando. Com muitatranquilidade, deitou na maca para ser avaliado.
25º resgatado:Renán Ávalos Silva, 29 anos. Solteiro e sem filhos, seu rosto foi o primeiro dos mineradores soterrados que pôde ser visto pelo mundo. É irmão de Florencio Ávalos, o primeiro resgatado.
Renan Ávalos deixou a cápsula Fênix às 18h24. Com um capacete azul repleto de escritos, abraçou anamorada e a mãe. Feliz, cumprimentou autoridades locais e o presidente Sebastián Piñera.
26º resgatado:Claudio Acuña Cortés, 34 anos. Operador de perfuradora, tem duas filhas. Pediu a noiva em casamento do fundo da mina.
Ao ser resgatado, Claudio abraçou a mulher, pedida em casamento durante a estadia na mina, e a filha.Chorou bastante e o deitar na maca, carregava uma pequena bandeira do Chile. Mostrou também fotos eacenou antes de ser recolhido.
27º resgatado:Franklin Lobos Ramírez, 52 anos. Motorista, ex-jogador de futebol. Tem duas filhas e mora em Copiapó. Jogou em equipes de primeira divisão, como o Cobresal, onde foi colega do craque Ivan Zamorano.
Franklin Lobos Ramírez chegou às 19h18 à superfície. Ganhou uma bola com a mensagem "estamos esperando você" e tentou fazeralgumas embaixadinhas. Bastante comunicativo, abraçou a esposa, o presidente chileno e brincou com asautoridades que o receberam.
28º resgatado:Richard Villarroel Godoy, 26 anos. Mecânico. Será pai em breve.
Richard saiu da cápsula Fênix às 19h45. Recebido com emoção por parte dos familiares, gritoue mostrou uma bandeira chilena com diversas mensagens. Abraçou os parentes e fez sinal de positivo para a câmera que transmite o resgate.
29º resgatado:Juan Aguilar Gaete, 49 anos. Supervisor, tem dois filhos. Trabalha há 19 anos como minerador.
Juan Carlos Aguilar chegou à superfície às 20h14, ansioso para deixar a cápsula Fênix. Foi recebidopor autoridades e abraçou a família. Sorridente, o mineiro seguiu para o atendimento médico.
30º resgatado:Raúl Bustos Ibáñez, 40 anos. Mecânico. Tem dois filhos. Trabalhava no estaleiro de Talcahuano, mas, após o terremoto de 27 de fevereiro, decidiu migrar para o norte e buscar trabalho na mina.
Às 20h38, Raúl Bustos Ibáñez deixou a cápsula Fênix. Calmo, beijou a mulher e abraçou o presidenteSebastián Piñera, ambos emocionados. Cumprimentou diversas pessoas, todas com muito entusiasmo. Deitadona maca, acenou para a cãmera.
31º resgatado:Pedro Cortez Contreras, 24 anos. É separado e tem uma filha. É eletricista, mas se tornou minerador incentivado pelo amigo Carlos Bugueño, que também ficou preso no soterramento.
Pedro Cortez Contreras já gritava antes de alcançar a superfície. Saiu da cápsula Fênix às 21h03. Foi recebido pela filha, que carregava balões pequenos, com a bandeira do Chile. Cumprimentou a primeira-dama e outras autoridades.
32º resgatado:Ariel Ticona Yáñez, 29 anos. Motorista de maquinaria pesada, tem dois filhos e uma menina que nasceu durante o tempo que passou soterrado. Ela ia se chamar Carolina, mas sua esposa batizou a menina de Esperanza, mesmo nome do acampamento localizado na superfície da mina.
Ariel Ticona foi o penúltimo resgatado da mina em Copiacó, às 21h28. Abraçou a companheira e foi recebido pelo presidente Sebastián Piñera. "Estava esperando você", disse o chefe de governo. O mineiro mostrou o artefato de comunicação usado durante a operaçãode resgate.
33º resgatado:Luis Urzúa Iribarren, 54 anos. Topógrafo, chefe de turno. Tem dois filhos. Assumiu o comando da equipe nos 17 dias em que esperaram que as equipes de resgate os localizassem. Trabalha há 31 anos como minerador.
Luiz Urzúa Iribarre, o líder dos mineiros, fechou o ciclo de resgates às 21h55. Sebastián Piñera,presidente do Chile, foi às lágrimas e destacou o espírito de liderança do mineiro. O hino nacionalfoi cantado.

CASO BRUNO

15/10/2010 15h40 - Atualizado em 15/10/2010 15h40
Bruno se emociona em audiência sobre caso Eliza na Grande BH
O goleiro chorou baixinho no início do segundo depoimento desta sexta.A juíza Marixa Rodrigues deve ouvir sete pessoas até o fim do dia.
Alex Araújo Do G1 MG
O goleiro Bruno se emocionou na retomada da audiência sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, às 14h50 desta sexta-feira (15). Bruno chorou, contidamente, na sala da audiência onde estão oito dos nove réus. Somente Sérgio Rosa Sales, primo do goleiro, não está presente. Ele foi dispensado pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais das audiências depois de um pedido do advogado dele, de que Sales estaria sendo assediado por outros defensores.
A segunda testemunha desta sexta-feira (15) foi uma amiga da mãe de Wemerson Marques, o Coxinha. A senhora disse que conhece o rapaz desde a infância e que não sabe se ele tem envolvimento de droga. A mulher, que depôs por cinco minutos, diz que Coxinha é uma boa pessoa que estava recebendo seguro-desemprego quando foi preso por suspeita de envolvimento no desaparecimento de Eliza Samudio.
Em seguida, a juíza Marixa Fabiane Lopes Rodrigues, em Contagem, chamou a terceira testemunha a depor. Ela trabalha como diarista no motel onde Bruno e Fernanda, segundo inquérito da Polícia Civil, teriam passado uma noite com Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; o adolescente envolvido no desaparecimento; e o filho de Eliza.
O primeiro a falar foi o porteiro do condomínio do síto do goleiro Bruno, em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele falou sobre o controle de entrada das pessoas ao condomínio fechado.
Estão no fórum o goleiro Bruno Fernandes; Dayanne Souza; Fernanda Gomes de Castro; Luiz Henrique Romão, o Macarrão; Marcos Aparecido dos Santos, o Bola; Flávio Caetano; Wemerson Marques; e Elenilson Vítor da Silva. Sérgio Rosa Sales, primo do jogador, havia sido dispensado da audiência desta quinta-feira (14) e não compareceu nesta sexta-feira (15). O advogado Marco Antônio Siqueira alegou nos últimos dias que o cliente está sendo assediado por outros advogados e pressionado a trocar de representante.
Oito réus assistem a depoimentos nesta sexta-feira(15), no Fórum de Contagem. Bruno é o primeiro dolado esquerdo. (Foto: Pedro Triginelli/G1 MG)
Nesta quinta-feira (14), foram ouvidos uma funcionária do jogador e um policial civil que participou das primeiras diligências no sítio de Bruno, em Esmeraldas, após a primeira denúncia de que um crime teria sido cometido no local. Outro investigador da Polícia Civil, que também esteve no imóvel, deve ser chamado para depor, segundo a juíza.A pedido da defesa, os delegados Edson Moreira, Ana Maria dos Santos e Alessandra Wilke seriam ouvidos em audiência, mas a juíza determinou que eles não sejam testemunhas e nem informantes no processo que investiga o desaparecimento de morte de Eliza. Marixa acatou o pedido do Ministério Público Estadual (MPE), feito pelo promotor de Justiça Gustavo Fantini. Os investigadores estiveram presentes no fórum nesta quinta-feira (14) e apenas responderam a algumas perguntas da magistrada sobre uma acusação dos advogados dos réus de que os delegados teriam torturado Dayanne Souza, durante o testemunho dela em julho, no Departamento de Investigações em Belo Horizonte.
saiba mais
Audiência do caso Eliza deve ouvir sete testemunhas nesta sexta, em MG
Justiça nega que delegados sejam testemunhas no caso Eliza
Delegados respondem à juíza sobre acusação de tortura no caso Eliza
Noiva de Bruno teria gravações com ameaças de Quaresma, diz advogado
Bruno nega, perante juíza, que sofreu ameaças de advogado no caso Eliza
Réus do caso Eliza começam a chegar ao Fórum de Contagem, em MG
Bruno e primo são levados para hospital em Contagem, na Grande BH
Bruno passa mal na Grande BH e não fala à juíza sobre ameaças
Advogado do primo de Bruno anuncia em carta que vai deixar o caso
Depois de denúncias contra Ércio Quaresma, noiva visita Bruno em MG
Menor se desculpa e diz que Santos não é o Bola que ele conhece
Pedido de desculpas
Ao fim do depoimento da funcionária do sítio de Bruno, o advogado Ércio Quaresma pediu a palavra à juíza e se desculpou ao advogado de Sérgio Rosa Sales, Marco Antonio Siqueira, por qualquer desentendimento que eles tenham tido em outras audiências. Após o pedido de desculpas, Siqueira disse que aceita o pedido de desculpas de Quaresma e que considera “o caso como encerrado”.
Nesta quarta-feira (13), o advogado Marco Antônio Siqueira havia anunciado que iria renunciar à defesa do cliente no processo que investiga o desaparecimento de Eliza Samudio. O advogado alegava que foi ameaçado por Ércio Quaresma, que representa o goleiro Bruno. Segundo Siqueira, o motivo dessas ameaças seria porque ele não faz parte do ‘bloco de advogados’ que está defendendo os réus.
Siqueira afirma que decidiu deixar o caso na sexta-feira (8) e conta que, durante uma discussão, Quaresma teria dito que “ele podia esperar, pois o que era dele estava guardado”. Ele disse ainda, que os familiares de seu cliente dizem estar sendo ameaçados para que Sérgio troque de advogado. “Todos vocês viram o Ércio Quaresma me ameaçar. Se algo acontecer vocês já sabem quem foi”.
Audiências anteriores
Nesta quarta-feira (13), um caseiro do sítio do goleiro, em Esmeraldas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi o primeiro a responder às questões da juíza. Na sequência, a mulher dele começou a prestar depoimento que foi interrompido.
O Tribunal de Justiça disse, anteriormente, que a juíza iria ouvir quatro delegados da investigação sobre o desaparecimento e morte de Eliza Samudio, mas, no início da tarde de ontem, Marixa informou que os quatro delegados devem ser ouvidos nesta quinta (14), também no Fórum de Contagem.
Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, essas audiências estão sendo realizadas para que a juíza Marixa, de Contagem, tome conhecimento de todos os fatos do processo apresentado pelo Ministério Público e decida se os réus serão pronunciados ou não. De acordo com o TJMG, a magistrada pode decidir julgamentos diferentes para os acusados. Dessa forma, se houver uma decisão por um julgamento no Tribunal do Júri, pode ser que nem todos sejam julgados por este tribunal. E os crimes pelos quais os réus são acusados podem sofrer alterações no julgamento. O Tribunal de Justiça explicou que esta fase do processo não tem prazo definido.
Na entrada do fórum de Contagem, o advogado de Bruno, Ércio Quaresma, disse "eu não ameaço, eu faço", em referência à denúncia do Fantástico sobre possíveis ameaças que o defensor estaria fazendo ao goleiro Bruno e a amigos e familiares. A dentista Ingrid Oliveira, noiva do goleiro, disse que defensor orientou Bruno a tentar suicídio na cadeia. “Ele falou que teria sido orientado pelo advogado a cortar os pulsos pra ver se ele conseguiria algum tipo de regalia”, contou.
O delegado Júlio Wilke, que participou das investigações, foi ouvido por mais de 13 horas na sexta-feira (8). Na mesma sessão, o adolescente envolvido no desaparecimento de Eliza Samudio também respondeu às perguntas da juíza Marixa. Em seu depoimento, o menor afirmou que o homem indicado como Bola pelo inquérito, e que está preso, não é o Bola que ele conhece. O adolescente ainda pediu desculpas por apontar o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos como o responsável pela morte de Eliza. O delegado Wilke disse, em seguida, que o menor indicou com detalhes a casa do ex-policial, em Vespasiano, e que o adolescente sabia até como eram os cômodos da casa.
Em Vespasiano, na quinta (7), nove testemunhas de defesa, que conhecem o ex-policial prestaram depoimento à juíza Ana Paula Lobo Pereira de Freitas. Todas foram unânimes ao dizerem que nunca viram o ex-policial Santos ser chamado de Bola.Em Ribeirão das Neves, na quarta (6), cinco testemunhas foram ouvidas. Na sessão, Bruno passou mal e precisou ser levado à Policlínica da cidade, e depois, para o Pronto-Socorro João XXIII, em Belo Horizonte, após desmaiar duas vezes.
Entenda o caso
O goleiro Bruno é réu no processo que investiga a morte de Eliza Samudio. A Justiça de Minas Gerais aceitou a denúncia do Ministério Público contra Bruno e outros oito envolvidos no desaparecimento e morte de Eliza. Fernanda Gomes de Castro, namorada de Bruno, foi presa em Minas Gerais.
O goleiro; Luiz Henrique Ferreira Romão, o Macarrão; Sérgio Rosa Sales; Dayanne Souza; Elenilson Vítor da Silva; Flávio Caetano; Wemerson Marques; e Fernanda Gomes de Castro vão responder na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, é o único que responderá por dois crimes. Bola foi denunciado por homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver. Todos os acusados negam o crime. As penas podem ultrapassar 30 anos.
A pedido do Ministério Público, a Justiça decretou a prisão preventiva de todos os acusados. Com essa medida, eles devem permanecer na cadeia até o fim do julgamento. Em 2009, Eliza teve um relacionamento com o goleiro Bruno, engravidou e afirmou que o pai de seu filho é o atleta. O bebê nasceu no início de 2010 e, agora, está com a mãe da jovem, em Mato Grosso do Sul.

ROQUE SANTEIRO 25 ANOS DEPOIS



O reencontro dos Duartes
9 de setembro de 2010
21h49
Tweet este Post
Categoria: TV
Aline Nunes
Ela não usa mais lenços coloridos. E ele aposentou as pulseiras. O ponto de encontro do casal não é mais a fantasiosa cidade de Asa Branca, da novela Roque Santeiro. Mas o coração dele ainda bate forte por ela. No calendário da dramaturgia, 25 anos se passaram, o fazendeiro Sinhozinho Malta já virou o boia-fria Sassá Mutema – de Salvador da Pátria (1989) – e até um sábio indiano – Caminho das Índias (2009). Enquanto isso, a extravagante viúva Porcina colocou abaixo o armário colorido, aderiu às roupas de época da compositora Chiquinha Gonzaga (1999) e até vestiu um jaleco branco em Páginas da Vida (2006). Demorou, mas o reencontro desses ícones da televisão brasileira – Lima Duarte, 81 anos, e Regina Duarte, 62 –, aconteceu.
O horário não é nobre, mas a única cena em que aparecem juntos, certamente, promete emocionar o público. Em Araguaia, novela de Walther Negrão que estreia no dia 27 de novembro, às 18h, na Globo, ele mais uma vez é fazendeiro, o enrolão Max. Regina é Antoninha, dona de uma estância na região do Araguaia, mas vítima de uma maldição. Na trama, o encontro da dupla será rápido. Com 45 anos de carreira, a atriz, que desde Três Irmãs (2008) não tem um personagem fixo em novelas, queria mais espaço. “Ficou o gostinho de quero mais. Eu até mandei um e-mail para o (Marcos) Schechtman (diretor), lamentando e perguntando se minha personagem não poderia desaparecer e voltar depois”, conta Regina. “Mas não estou reclamando. Sou positiva. Melhor fazer uma cena com o Lima do que não fazer nenhuma”.
Na trama, Max alimenta desde a juventude um amor platônico por Antoninha, mas ela nunca lhe deu uma chance. Na única cena em que aparecerão juntos, no primeiro capítulo, Max irá declarar seu amor. Mas Antoninha – uma mulher de cabelos brancos e rosto enrugado –, dispensa o fazendeiro sem rodeios. “Até me pediram para perder 2 quilos, para deixar a pele mais enrugada para fazer esse efeito de idade”, conta a atriz. Essa é a terceira vez que a dupla tem a chance de contracenar nos estúdios do Projac. Além de Roque Santeiro, os dois também se encontraram em Rainha da Sucata (1990). Mas, nos 20 anos que passaram sem trabalhar juntos, eles fizeram questão de cultivar a amizade.
Amigos dentro e fora da TVLima Duarte diz não ter muitos amigos na TV. Em vez de frequentar a casa de parceiros de cena, fica recluso num sítio, onde vive, no interior de São Paulo. Regina Duarte é uma das poucas para quem ele gosta de telefonar, “falar da vida” e dos filhos. “O Lima é um colega extraordinário. Ele se esconde, mas eu também. Por isso, nossa amizade dá certo”, diz a atriz. “Eu gosto muito dela. Quando ela me liga, às vezes, ela quer umas coisas estranhas, mas é o temperamento dela”, comenta Lima, sem querer dar detalhes. No Projac, os dois aproveitaram a oportunidade para decorar e ensaiar os textos juntos.
E se na TV Lima e Regina são igualmente queridos e admirados por colegas e pelo público, fora do trabalho dividem mais afinidades. Ambos fogem das badalações e buscam contato com o mato. Fora do eixo Rio –São Paulo, Lima Duarte, que detesta ter de pegar avião para ir gravar no Rio, vive na rotina de leituras, caminhadas e passeios a cavalo. “Sou muito solitário, vivo sozinho no sítio. Não gosto de falar, não falo com ninguém. Não fumo, não bebo, não como carne, não uso drogas”, diz o ator.
Já Regina, leva uma vida “cigana”. Viaja para a Europa com frequência, cuida da avó, em São Paulo, e cuida de uma fazenda em Barretos, ao lado do marido, o pecuarista Eduardo Lippincott , 59 anos. “Fico feliz com essa trégua que a Globo está me dando. Não tenho do que reclamar. Por mim, termino minha carreira aqui. A não ser que a emissora não me queira mais”, diz a atriz, há 40 anos na emissora. Lima carrega o mesmo tempo de contratado. É por isso que, num elenco de 38 atores, repleto de novatos – com exceção de alguns nomes como Julia Lemmertz, Murilo Rosa, Laura Cardoso e Eva Wilma –, os dois figurões não poderiam passar despercebidos.

sábado, 9 de outubro de 2010

DEPUTADO FEDERAL NO CHUI TODOS OS VOTOS

NOME DO CANDIDATO (PARTIDO)VOTOS VÁLIDOS%
Matteo Chiarelli (DEM) 623 23,26%
Henrique Fontana (PT) 330 12,32%
Afonso Hamm (PP) 266 9,93%
Marco Maia (PT) 216 8,07%
Fernando Marroni (PT) 190 7,09%
Jeronimo Goergen (PP) 184 6,87%
Dirceu Lopes (PT) 107 4%
Manuela D Avila (PC do B) 76 2,84%
Mendes Ribeiro Filho (PMDB) 65 2,43%
Vieira da Cunha (PDT) 64 2,39%
Clovis Rech (PR) 39 1,46%
Osmar Terra (PMDB) 38 1,42%
Busato (PTB) 27 1,01%
Danrlei de Deus Goleiro (PTB) 24 0,9%
Luis Carlos Heinze (PP) 20 0,75%
Dr. Castilho (PDT) 18 0,67%
Covatti (PP) 17 0,63%
Claudio Diaz (PSDB) 13 0,49%
Kalil Sehbe (PDT) 13 0,49%
Luciana Genro (PSOL ) 10 0,37%
Ronaldo Nogueira (PTB) 8 0,3%
Beto Albuquerque (PSB) 8 0,3%
Fabricio Tavares (PTB) 7 0,26%
Stedile (PSB) 6 0,22%
Ferreira (PT) 6 0,22%
Sérgio Moraes (PTB) 5 0,19%
Sueme Pompeo de Mattos (PDT) 5 0,19%
Fabiano Pereira (PT) 5 0,19%
Pimenta (PT) 5 0,19%
Waldir Canal (PRB) 4 0,15%
Marquinho Lang (DEM) 4 0,15%
Marcon (PT) 4 0,15%
Carlao (PP) 3 0,11%
Sgt Portinho (PPS) 3 0,11%
Elias Vidal (PPS) 3 0,11%
Nelson Marchezan Junior (PSDB) 3 0,11%
Onyx (DEM) 3 0,11%
Afonso Motta (PDT) 3 0,11%
Flavio Zacher (PDT) 3 0,11%
Emilia Fernandes (PT) 3 0,11%
Gauchinho de Deus (PSC) 2 0,07%
Elmar Schneider (PMDB) 2 0,07%
Jose Otavio Germano (PP) 1 0,04%
Nilsa Figueiredo (PSDB) 1 0,04%
Ricardo Guimarães (PSDB) 1 0,04
Ruy Pauletti (PSDB) 1 0,04%
Adão Canabarro (PSDB) 1 0,04%
Helo Schwonke (PSDB) 1 0,04%
Girardi (PTB) 1 0,04%
Paulo Pulz (DEM) 1 0,04%
Alceu Moreira (PMDB) 1 0,04%
Eliseu Padilha (PMDB) 1 0,04%
Enio Souza (PSDC) 1 0,04%
Claudiomiro (PR) 1 0,04%
Julio Martins (PC do B) 1 0,04%
Adolar Queiroz (PDT) 1 0,04%
Giovani Cherini (PDT) 1 0,04%
Alex Caiel (PSOL) 1 0,04%
Antonio Nunes (PSOL) 1 0,04%
Maicon Nachtigall (PSOL) 1 0,04
Winnie Bueno (PSOL) 1 0,04%
Elvino Bohn Gass (PT) 1 0,04%
Ronaldo Zulke (PT) 1 0,04%
Jessica Nucci (PSTU) 1 0,04%
Prof. Manoel (PSTU) 1 0,04%
Alda Miller (PV) 1 0,04%
Mikonga (PV) 1 0,04%
Hildo Ney Caspary (PP) 0 0%
Jane Andreola (PP) 0 0%
Salvador Rodrigues (PP) 0 0%
Angela Pellin (PP) 0 0%
Manoela Nunes (PP) 0 0%
Nardes (PP) 0 0%
Renato Molling (PP) 0 0%
Salezio Dagostim (PP) 0 0%
Sarita Stroher (PP) 0 0%
Cleci (PP) 0 0%
Capelli (PP) 0 0%
Andreia Fioravante (PP) 0 0%
Ricardo Peralba (PSL) 0 0%
Getulio Vargas (PSC) 0 0%
Eva Lopes (PSC) 0 0%
Jeovane Contreira (PPS) 0 0%
Rosana Oppitz (PPS) 0 0%
Sergio Sampaio (PPS) 0 0%
Doutor Celso (PPS) 0 0%
Santalucia (PPS) 0 0%
Irani (PHS)0 0%
Serginho (PHS) 0 0%
Hellena.toldo (PSDB) 0 0%
Mauro Sena (PSDB) 0 0%
Paulo Antão (PSDB) 0 0%
Peter Faleiro (PSDB) 0 0%
Paulo Ferreira (PSDB) 0 0%
Ademir Schneider (PSDB) 0 0%
Ana Verli (PSDB) 0 0%
Carlos Rosa (PSDB) 0 0%
Eri (PSDB) 0 0%
Dourado (PSDB) 0 0%
Dirnei Severo (PSDB) 0 0%
Elsa Beatrici (PSDB) 0 0%
Schneider (PT do B) 0 0%
Ana Castellan (PTB) 0 0%
Andressa Zanotelli Castelan (PTB)
0
0%
Jacque Pache (PTB)
0
0%

Espíndola (PTB)
0
0%
Germano Camacho (PTB)
0
0%
Jose Luis Iserhard (PTB)
0
0%
João Eduardo Reymunde (PTB)
0
0%
Caio Riela (PTB)
0
0%
Maurício Dziedricki (PTB)
0
0%
Neusa Zoch - Xuxa (PTB)
0
0%
Paulo Pugliero (PTB)
0
0%
Sergio Dalbon (PTB)
0
0%
Tesser (PTB)
0
0%
Sônia Benelli Posto de Saúde (PTB)
0
0%
Ayrton Corrêa (DEM)
0
0%
Dany Silveira (DEM)
0
0%
Edu Olivera (DEM)
0
0%
Herica (DEM)
0

Jorge Vargas (DEM)
0
0%
Zezo (DEM)
0
0%
Lauro Bronzoni (DEM)
0
0%
Luciana Pereira (DEM)
0
0%
Patric (DEM)
0
0%
Alex Knak (PMDB)
0
0%
Arlindo Signor (cabo) (PMDB)
0
0%
Daniel Farias (PMDB)
0
0%
Perondi (PMDB)
0
0%
Deisi Souza (PMDB)
0
0%
Evandro de Oliveira (PMDB)
0
0%
Matiello (PMDB)
0
0%
Fernando Scortegagna (PMDB)
0
0%
Kiko Barbará (PMDB)
0
0%
Dr. Kanan Buz (PMDB)
0

Júlio César Oliveira (PMDB)
0
0%
Leila (PMDB)
0
0%
Dr. Levi (PMDB)
0
0%
Záchia (PMDB)
0
0%
Marlene (PMDB)
0
0%
Mauro Pereira (PMDB)
0
0%
Otto Gerhardt (PMDB)
0
0%
Paulo Santos (PMDB)
0
0%
Xirú (PMDB)
0
0%
Francisco Carvalho (PSDC)
0
0%
Irlei Feverssani (PSDC)
0
0%
Renata Teixeira (PR)
0
0%
Bagalu (PSB)
0
0%
Professor Trombetta (PSB)
0
0%
Luiz Noe (PSB)
0

Parmeggiani (PSB)
0
0%
Professora Maria Neli (PSB)
0
0%
Rejane (PSB)
0
0%
Nelmo Oliveira (PSB)
0
0%
Otavio (PSB)
0
0%
Nuncio (PSB)
0
0%
Ronaldo Pippi Ou Ronaldo (PSB)
0
0%
Professora Bicca (PSB)
0
0%
Rosi (PSB)
0
0%
Sandra Branco (PSB)
0
0%
Vicente Selistre (PSB)
0
0%
Dr Alexandre Roso (PSB)
0
0%
Julinha Goldschmidt (PSB)
0
0%
Claudete Machado (PSB)
0
0%
Savinho (PSB)
0
0%

Prof Gustavo Eboli (PSB)
0
0%
Irani Fernandes (PSB)
0
0%
Jane Miranda (PSB)
0
0%
Garibaldi (PC do B)
0
0%
Juliano Roso (PC do B)
0
0%
Neidmar Roger (PC do B)
0
0%
Oscar Plentz (PC do B)
0
0%
Valter da Rosa (PC do B)
0
0%
Andre Oliveira (PC do B)
0
0%
Assis Melo (PC do B)
0
0%
Carin (PC do B)
0
0%
Regina Abrahao (PC do B)
0
0%
Tete (PC do B)
0
0%
Neco (PDT)
0
0%
Silvia Daniela (PDT)
0

Valter Kaipper (PDT)
0
0%
Vera D Avila (PDT)
0
0%
Beto Maioli (PDT)
0
0%
Ana Frantz (PDT)
0
0%
Luizinho (PDT)
0
0%
Délcia Carvalho (PDT)
0
0%
Edison Lago (PDT)
0
0%
Enio Bacci (PDT)
0
0%
Flavio de Souza (PDT)
0
0%
Giba Figueiredo (PDT)
0
0%
Brenol (PDT)
0
0%
João Quadros (PDT)
0
0%
Katia Ajala (PDT)
0
0%
Leila Castro (PDT)
0
0%
Marcelo Zappe Bisogno (PDT)
0
0%

Rogerio Vieira (PDT)
0
0%
Douglas (PDT)
0
0%
Kennedy (PTN)
0
0%
Bittencourt (PMN)
0
0%
Celmar Lopes (PMN)
0
0%
Delmar Lima (kaco) (PMN)
0
0%
Edson do Canto (PMN)
0
0%
Massoprevent (PMN)
0
0%
Jairton (PMN)
0
0%
Joao Alves (PMN)
0
0%
Celia do Pmn (PMN)
0
0%
Rejane Schossler (PMN)
0
0%
Rodrigo Dias (PMN)
0
0%
Valney Vargas (PMN)
0
0%
Vilnei Oliveira (PMN)
0
0%

Alexandre Campos (PTC)
0
0%
Claudinei Oliveira (PTC)
0
0%
Dimas (PTC)
0
0%
Liomar Borges (PTC)
0
0%
Orlando dos Santos (PTC)
0
0%
Sparta (PRP)
0
0%
Mauro Cattelan (PRP)
0
0%
Renata Mattos (PRP)
0
0%
Silvia Vieira (PSOL)
0
0%
Alcino Boka di Lata (PSOL)
0
0%
Geraldinho (PSOL)
0
0%
Antonio Ruas (PSOL)
0
0%
Arilton (PSOL)
0
0%
Arino Maciel (PSOL)
0
0%
Cleonice Bao (PSOL)
0
0

Egidio Paolin (PSOL)
0
0%
Bete Lopes (PSOL)
0
0%
Emerson Dutra (PSOL)
0
0%
Zampeze (PSOL)
0
0%
Fabio Lemes (PSOL)
0
0%
Gilson Banker (PSOL)
0
0%
Jefferson Fraga (PSOL)
0
0%
Jorjao (PSOL)
0
0%
Ju Palhares (PSOL)
0
0%
Lucas de Souza (PSOL)
0
0%
Lip (PSOL)
0
0%
Marcio Vargas (PSOL)
0
0%
Mario San Segundo (PSOL)
0
0%
Paulo Mano (PSOL)
0
0%
Rogerio Benites (PSOL)
0
0%

Paulo Sergio (PSOL)
0
0%
Roberto Seitenfus (PSOL)
0
0%
Rosani (PSOL)
0
0%
Sandi Borges (PSOL)
0
0%
Celedo Neto (PSOL)
0
0%
Sheila Italia (PSOL)
0
0%
Edson Canabarro (PCB)
0
0%
Clemente (PT)
0
0%
Pepe Vargas (PT)
0
0%
Ivar Pavan (PT)
0
0%
Capitão Luís Fernando (PT)
0
0%
Maria do Rosário (PT)
0
0%
Neusa Velleda (PT)
0
0%
Doutora Suzana (PT)
0
0%
Lauro Pogozelski (PT)
0
0%

Miriam Moura (PT)
0
0%
Silverio Stolben (PSTU)
0
0%
Cristiano Maidana Vianna (PV)
0
0%
Rafael Milani (PV)
0
0%
Paulo Cunha (PV)
0
0%
Arthur Fonseca (PV)
0
0%
Claudio Milan (PV)
0
0%
Cururu (PV)
0
0%
Cristiano Moraes (PV)
0
0%
Edemar do Pv (PV)
0
0%
Prof. Edison ( Biuti) (PV)
0
0%
Eliane Carmanim Lima (PV)
0
0%
João Rieger (PV)
0
0%
Geraldo Pv (PV)
0
0%
Joao Camargo do Nascimento (PV)
0
0

Jorge Ruas (PV)
0
0%
José do Rio Grande do Sul (PV)
0
0%
Dr. Benjamin (PV)
0
0%
Mano Rocha (PV)
0
0%
Marco Polo Gigante (PV)
0
0%
Prof. Idalina (PV)
0
0%
Mario Jobim (PV)
0
0%
Nelson Vasconcelos (PV)
0
0%
Paulo Ricardo Melo (PV)
0
0%
Reni Vilmar (PV)
0
0%
Pardal do Pv (PV)
0
0%
William Melo (PV)
0
0%